MPS.BR – Introdução

O MPS.BR, ou Melhoria de Processos de Software Brasileiro, é um modelo de qualidade (ou padrão de qualidade) de processos de software. Foi desenvolvido no Brasil: desta forma, é completamente voltado a realidade das empresas do nosso país. Neste post, veremos uma breve introdução ao MPS.BR.

O programa de Melhoria do Processo de Software Brasileiro, MPS.BR, foi um modelo iniciado em 2003 como uma iniciativa do Ministério de Ciência e Tecnologia (MCT), e da Associação para a Promoção da Excelência do Software Brasileiro (Softex), que visa à definição de um modelo de referência e certificação baseado nas normas:

  • ISO/IEC 12207 (Ciclo de Vida de Processos de Software)
  • ISO/IEC 15504 (Avaliações de Processos de Software)
  • CMMI (Modelo de Maturidade mantido pela Software Engineering Institute)

O custo para uma empresa ser aderente ao modelo CMMI é muito alto (estima-se que pode chegar a $400 mil), o que torna inviável para empresas de pequeno e médio porte no Brasil. É ai que entra o MPS.BR.

O grande objetivo do programa é proporcionar uma estrutura para a melhoria dos processos de desenvolvimento e manutenção de software para as empresas brasileiras.

No Brasil, uma das principais vantagens do modelo é seu custo reduzido de certificação em relação as normas estrangeiras, sendo ideal para micro, pequenas e médias empresas.

Metas do programa a médio e longo prazo:

  • Meta técnica, visando à criação e aprimoramento do modelo MPS
  • Meta de mercado, visando à disseminação e adoção do modelo MPS em todas as regiões do país, em um intervalo de tempo justo, a um custo razoável, em Pequenas e Médias Empresas (foco principal) e Grandes organizações (públicas ou privadas)

O MPS.BR é dividido em 3 componentes:

  • MR-MPS – Modelo de referência
  • MA-MPS – Método de avaliação
  • MN-MPS – Modelo de negócio

Conforme a figura abaixo:

Método de Avaliação (MA-MPS) – descreve o processo de avaliação, os requisitos para os avaliadores e os requisitos para atender ao modelo de referência (MR-MPS). O MA-MPS está descrito no Guia de Avaliação.

Modelo de Negócio (MN-MPS) – contém uma descrição das regras de negócio para três domínios:

  • do projeto MPS.BR (coordenado pela Sofitex),
  • das instituições implementadoras do modelo MPS.BR (II_MPS) e das instituições avaliadoras do modelo MPS.BR (IA_MPS)
  • das empresas e organizações que querem fazer uso do modelo MPS.BR para melhorar seus processos de software.

O detalhamento das regras está descrito no documento do projeto do MPS.

Modelo de Referência (MR-MPS) – contém os requisitos que as organizações devem atender para estar em conformidade com o modelo MPS.BR. Contém as definições dos níveis de maturidade e de capacidade dos processos, e dos processos em si.
Foi baseado nas normas ISO/IEC 12207 e ISO/IEC 15504 e é adequado ao CMMI.
O MR-MPS está descrito no Guia Geral.

O Guia de Aquisição é um documento complementar para empresas que pretendem adquirir software. Não contém requisitos do MR-MPS, mas sim boas práticas para aquisição de software ou serviços correlatos.

Os Guias de Implementação sugerem formas de implementar o MPS.BR nas organizações.

O Modelo de Referência

O Modelo de Referência MR-MPS define níveis de maturidade de uma organização, que é uma combinação entre seus processos e sua capacidade.

O MPS.BR define sete níveis de maturidade:

A – Em Otimização;
B – Gerenciado quantitativamente;
C – Definido;
D – Largamente Definido;
E – Parcialmente Definido;
F – Gerenciado;
G – Parcialmente Gerenciado.

A imagem abaixo ilustra os níveis de maturidade do MPS.BR, e sua relação com os níveis de maturidade do CMMI:

Algumas definições para um melhor entendimento do modelo:

Processos

Os processos no MR-MPS são descritos em termos de:

Propósito
* Descreve o objetivo geral a ser atingido durante a execução do processo

Resultados esperados do processo
* Estabelecem os resultados a serem obtidos com a efetiva implementação do processo
* Podem ser evidenciados por: Um produto de trabalho produzido e/ou uma mudança significativa de estado ao se executar o processo

Abaixo, uma imagem dos Níveis de Maturidade do MPS.BR e seus respectivos processos:
Atributo de Processo

É uma característica mensurável da capacidade do processo, aplicável a qualquer processo [ISO/IEC 15504-1, 2004].

Resultado Esperado do Processo

É resultado observável do sucesso do alcance do propósito do processo [ISO/IEC 12207:1995/Amd 1:2002].
Um resultado pode ser:

  • Um artefato produzido, uma mudança significativa de estado e o atendimento das especificações, como por exemplo: requisitos, metas etc.
  • Uma lista com os principais resultados do processo faz parte da descrição de cada processo no Modelo de Referência
Capacidade do Processo

Uma caracterização da habilidade do processo em atingir os objetivos de negócio atuais ou futuros. A capacidade do processo é representada por um conjunto de atributos de processo descritos em termos de resultados esperados.

A capacidade de um processo no MPS.BR possui 9 atributos de processo:

  • AP 1.1 – O processo é executado
  • AP 2.1 – O processo é gerenciado
  • AP 2.2 – Os produtos de trabalho do processo são gerenciados
  • AP 3.1 – O processo é definido
  • AP 3.2 – O processo está implementado
  • AP 4.1 – O processo é medido
  • AP 4.2 – O processo é controlado
  • AP 5.1 – O processo é objeto de inovações
  • AP 5.2 – O processo é otimizado continuamente
No MPS, à medida que a organização evolui nos níveis de maturidade, um maior nível de capacidade para desempenhar o processo deve ser atingido pela organização.
Abaixo, uma imagem contendo os níveis, seus processos e respectivos AP’s em cada nível:

Um resumo/versão de impressão do MPS.BR com seus processos, APs em cada nível e pode ser baixado aqui (não é de minha autoria).

Nos próximos posts, tentarei explicar de uma forma um pouco mais detalhada cada um dos níveis de maturidade do MPS.BR, bem como seus processos e atributos de processo.
Abraço!

Referências:
Sofitex – MR e MA para Melhoria de Processo de Software
Blog do Rogério AraújoResumo do MPS-BR (muito bom, vale a pena a leitura)

Deixe um Comentário

9 Comentários.

  1. Ótima introdução sobre o mps.br. Parabéns!!!!

  2. Parabéns pela iniciativa Hallan,
    Vou desenvolver o meu TCC nessa área e esse artigo foi de muita valia para o entendimento do assunto.

  3. PATRÍCIA VALÉRIA

    De tudo que já pesquisei na internet, o seu blog é o mais interessante(fácil entendimento). Eu não sabia nada de MPS-BR-SW hj o que sei foi graças ao seu blog. Estou fazendo o meu Projeto final sobre o nível G. Irei apresentar dia 22/01/14 já comecei a escrever. Gostaria que vc me encaminhasse tb o seu artigo que vc repassou para o Riocemar. Grataaaaa, Patrícia Valéria – Rio de Janeiro.

  4. Elisângela Pinho

    Hallan, estou ministrando aula sobre o tema qualidade de software, e escolhi o modelo MPS.BR. Agradeço pela contribuição que seu blog está me dando. Peço vossa autorização para utilizar e indicar seu blog em minhas aulas. Grata, Elisângela Pinho.

  5. Simplismente fantástico! Parabéns

Deixe um Comentário


NOTA - Você pode usar estesHTML tags and attributes:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>